Queiroga diz que número de mortes de crianças ‘não implica em decisões emergenciais


Após anunciar uma consulta pública para tratar do tema, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, minimizou a urgência de uma decisão para liberar a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid-19, nesta quinta-feira (23). A informação é do jornal O Globo.

“Os óbitos de crianças estão dentro de um patamar que não implica em decisões emergenciais. Ou seja, isso favorece que o ministério possa tomar uma decisão baseada na evidência científica de qualidade, na questão da segurança, na questão da eficácia. Afinal de contas, nós queremos levar para os pais e para as mães uma palavra de conforto e de esperança e hoje nós estamos na época do Natal, é uma época propícia para isso”, disse Queiroga.

Segundo o jornal, dados oficiais apontam que 301 crianças morreram no Brasil em decorrência da doença desde a chegada do coronavírus até o dia 6 de dezembro, o que representa 14,3 mortes por mês ou um óbito a cada dois dias. Dados da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19 mostram ainda que 2.978 diagnósticos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por Covid ocorreram em crianças de 5 a 11 anos, totalizando 156 mortes em 2020. Em 2021 já foram registrados 3.185 casos nessa faixa etária, com 145 mortes, o que soma 6.163 casos e 301 mortes desde o início da pandemia.

Apesar da resistência do governo e da oposição do presidente Jair Bolsonaro, a imunização deste público alvo com a vacina da Pfizer foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e recomendada por estudos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“A faixa etária de 5 a 11 anos é onde se identifica menos óbitos em decorrência da Covid-19. Cada vida é importante. Nós lamentamos por todas as vidas. Agora, o Ministério da Saúde tem que tomar as suas decisões com base nas evidências científicas”, argumentou o ministro da Saúde, segundo o qual “mesmo que as vacinas começassem a ser aplicadas amanhã” o problema não será resolvido rapidamente.

Em sua fala, Queiroga questionou ainda a eficácia das vacinas aprovadas pela Anvisa contra a cepa Ômicron da Covid. “O lugar para se discutir esses temas é aqui no Ministério da Saúde. A consulta pública visa ouvir a sociedade, isso não é uma eleição, isso não é para opinião de grupo de ‘zap’. Nós queremos ouvir a sociedade, inclusive ouvir os especialistas. Nós não podemos ouvir os especialistas nos canais de televisão. O ministério não se guia pelas opiniões que são exaradas nos canais de televisão, embora respeitemos a imprensa. O lugar de se debater isso com especialistas é em uma audiência pública no Ministério da Saúde”, declarou.
Queiroga diz que número de mortes de crianças ‘não implica em decisões emergenciais Queiroga diz que número de mortes de crianças ‘não implica em decisões emergenciais Reviewed by Redação on quinta-feira, dezembro 23, 2021 Rating: 5

Nenhum comentário

ANÚNCIOS