Header AD

Bahia só vacinou 55% do público-alvo contra sarampo neste ano; Sesab aponta riscos

 


A pandemia agravou um problema que já vinha sendo enfrentado pelo Brasil e pela Bahia nos últimos anos: a baixa adesão à vacinação. Dados parciais da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) mostram que aqui, há um mês do fim do ano, apenas 55% da população que deveria ser vacinada contra o sarampo compareceu aos postos e recebeu o imunizante. Como consequência desse comportamento de não vacinados está o aumento dos chamados “bolsões suscetíveis”. O termo técnico diz respeito ao acúmulo de pessoas sem a devida proteção. “Se o vírus é introduzido aqui, rapidamente eclode um surto ou epidemia”, adverte o coordenador de Imunização da Sesab, Ramon Saavedra. “A adesão ficou ainda menor no inicio da pandemia. A gente publicou na Sesab um documento para incentivar vacinação no contexto da pandemia, tentando trazer ambiente seguro e buscar estratégias alternativas de vacinação para garantir a proteção da população. Mas é um desafio enorme porque a gente vê pelos indicadores que a cobertura vacinal está em queda. Significa que estamos acumulando pessoas que estão ficando vulneráveis”, disse Saavedra. A vacina contra o sarampo protege também da rubéola e caxumba e, por isso, é chamada de “tríplice viral”.

Bahia só vacinou 55% do público-alvo contra sarampo neste ano; Sesab aponta riscos Bahia só vacinou 55% do público-alvo contra sarampo neste ano; Sesab aponta riscos Reviewed by Redação on quarta-feira, dezembro 02, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário

ANÚNCIOS