Header AD

Comissão de Ética pretende denunciar estudo sobre 'nova cloroquina' de Bolsonaro


Uma investigação sigilosa da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), entidade responsável por analisar e aprovar os estudos científicos no Brasil, constatou uma série de irregularidades no ensaio clínico que aplicou proxalutamida em pacientes com Covid-19 no Amazonas. O remédio foi utilizado em Manaus, entre 2 de fevereiro e 22 de março, e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a chamar a substância de "nova cloroquina".

Com isso, segundo o blog de Malu Gaspar, no jornal O Globo, um relatório com os resultados da apuração deve ser enviado ao Ministério Público, à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao Conselho Federal de Medicina (CFM) para pedir a abertura de um inquérito para investigar suspeitas de fraude e falhas graves.

Mas, antes, a comissão deu aos organizadores do estudo uma oportunidade de fornecer informações que justificassem as falhas detectadas e esclarecessem as suspeitas dos conselheiros. No entanto, o prazo limite até o último dia 31 não foi atendido. O conselho, então, deu um novo prazo até a próxima semana.


O ESTUDO

De acordo com a publicação, quando o estudo foi apresentado, as informações divulgadas despertaram suspeitas de fraudes e falhas graves em especialistas, a exemplo da morte de um número alto de voluntários, que deveria ter levado à suspensão da pesquisa e não levou. Ao analisar o caso, o Conep identificou que todas as premissas do protocolo submetido ao conselho foram descumpridas.

O grupo de pesquisadores, liderado pelo médico Flávio Cadegiani, registrou o estudo como se ele fosse realizado em hospitais de Brasília, mas ele se procedeu em Manaus e outras cidades do Amazonas. Outra mudança em relação ao planejamento e a prática foi que o protocolo previa testar a proxalutamida em menos de 300 pacientes com Covid-19 moderada, mas os autores a aplicaram em 615 pacientes graves. Além disso, só quando submeteram os dados finais à comissão, em maio, os autores informaram a ocorrência de "mais de 200 óbitos".

“A impressão que a gente tem é a de que eles nem sabem quantos morreram” (...) “Parece que perderam absolutamente o controle da situação”, disse um dos envolvidos na apuração. Os pesquisadores disseram à comissão que a alta taxa de mortalidade é decorrente do momento do estudo, que foi concomitante ao colapso no sistema de saúde de Manaus.

Com Informações do Bahia Notícias
Comissão de Ética pretende denunciar estudo sobre 'nova cloroquina' de Bolsonaro Comissão de Ética pretende denunciar estudo sobre 'nova cloroquina' de Bolsonaro Reviewed by Redação on terça-feira, junho 08, 2021 Rating: 5

Nenhum comentário

ANÚNCIOS